Dezesseis filmes disputam indicação nacional ao Oscar 2017

05/09/2016

Dezesseis longas-metragens participarão da seleção que escolherá o representante brasileiro na disputa por uma vaga entre os candidatos ao Oscar 2017 de melhor filme em língua estrangeira. Os longas inscritos são A Despedida, de Marcelo Galvão; Mais Forte que o mundo, de Afonso Poyart; O outro lado do paraíso, de André Ristum; Pequeno segredo, de David Schurmann; Chatô – O rei do Brasil, de Guilherme Fontes; Uma loucura de mulher, de Marcus Ligocki Júnior; Aquarius, de Kleber Mendonça Filho; Nise – O coração da loucura, de Roberto Berliner; Vidas partidas, de Marcos Schetchman; O começo da vida, de Estela Renner; Menino 23: Infâncias perdidas no Brasil, de José Belisario Cabo Penna Franca; Tudo que aprendemos juntos, de Sérgio Machado; Campo Grande, de Sandra Kogut; A bruta flor do querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade; Até que a casa caia, de Mauro Giuntini; e O roubo da taça, de Caito Ortiz. O filme A Hora e a Vez de Augusto Matraga foi inabilitado por ter sido lançado fora do período exigido pela academia norte-americana, de 1° de outubro de 2015 a 30 de setembro de 2016.

O período de inscrições encerrou-se no dia 31 de agosto, quarta-feira, e, até sexta-feira, dia 2, foi aceito material postado até o término das inscrições. Após esse período, o MinC analisou a documentação recebida para a habilitação dos candidatos. "No ano passado, houve nove filmes inscritos. Já este ano foi quase o dobro", afirmou o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Alfredo Bertini.

Seleção

No dia 12 de setembro, após avaliação dos representantes da comissão especial, será anunciado o nome do filme escolhido, em cerimônia na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

A escolha da película é realizada por uma comissão nomeada pelo MinC especialmente para esse fim, composta por integrantes de "currículos robustos de diversas partes do Brasil" e que "integram diversas etapas da cadeia produtiva do audiovisual", explicou Bertini.

A comissão é formada por Adriana Scorzelli Rattes; Luiz Alberto Rodrigues; George Torquato Firmeza; Marcos Petrucelli; Paulo de Tarso Basto Menelau; Silvia Maria Sachs Rabello; Sylvia Regina Bahiense Naves; Carla Camurati e Bruno Barreto.

O ministro da Cultura, Marcelo Calero, reforça sua confiança no trabalho da comissão avaliadora que vai indicar à Academia de Ciências e Artes Cinematográficas o representante brasileiro na disputa por uma vaga entre os indicados ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. "A gente confia plenamente na isenção e na capacidade da comissão avaliadora. Será um trabalho difícil, pois a safra de filmes brasileiros está excelente", afirmou.